Patrimônio Líquido

P

O que é Patrimônio Líquido?

O Patrimônio Líquido é um indicador contábil que indica a relação entre os ativos e passivos financeiros de uma empresa.

Por conta disso, o Patrimônio Líquido representa o total de bens de uma companhia que realmente pertence aos seus acionistas.

Para calcular o Patrimônio Líquido, basta fazer uma subtração entre os bens e direitos que uma organização possui em relação às suas obrigações financeiras.

É possível afirmar que o PL é um dos conceitos mais importantes dentro de um balanço patrimonial. Nele, são registrados o capital social, lucros acumulados, contas de reserva e outros dados financeiros.

Como funciona o Patrimônio Líquido?

O Patrimônio Líquido só pode ser encontrado a partir do cálculo dos ativos e passivos de uma companhia.

Por conta disso, é importante entender melhor esses dois conceitos:

Ativos

Os ativos de uma companhia representam os bens e direitos que ela possui em um determinado período.

Portanto, tudo o que pode ser convertido em um valor monetário em algum período, como:

  • Caixa disponível;
  • Estoque;
  • Equipamentos;
  • Imóveis;
  • Veículos.

Passivos

Os passivos correspondem às obrigações financeiras que uma empresa possui com terceiros.

Dentre os principais, estão: dívidas (empréstimos e financiamentos); salário de funcionários; pagamento de tributos; contas gerais.

Estrutura do Patrimônio Líquido

O Patrimônio Líquido de uma empresa é composto por algumas contas, também chamadas de subdivisões, conforme a Lei 6404/76:

  • Capital Social;
  • Ações de Tesouraria;
  • Reservas de Lucros e de Capital;
  • Ajustes de Avaliação Patrimonial.

Capital Social

O Capital Social consiste em todos os recursos aplicados na empresa pelos sócios no momento da sua criação. No entanto, os recursos levantados pela empresa no momento de IPO, onde suas ações são ofertadas ao mercado, também são contabilizados.

No caso de IPO com emissão primária, as novas ações são emitidas para investidores na bolsa de valores. Mas também é possível emitir ações através de ofertas secundárias ou aumentos de capital a partir do exercício de opções, quando o titular da opção detém o direito de comprar (call) ou vender (put) ativos.

Isso, de acordo com o preço de exercício de operações em determinado momento. Nesse sentido, o capital da empresa aumenta de acordo com a quantia levantada junto ao mercado de capitais.

Ações de Tesouraria

Um outro componente do patrimônio de uma empresa são as ações em tesouraria, que representam os papéis emitidos que nunca foram emitidos ao público. Além disso, as ações recompradas do mercado também podem ser classificadas como ações em tesouraria.

Estas ações podem ser canceladas ou emitidas novamente no futuro pela companhia.

Patrimônio Líquido Negativo

O Patrimônio Líquido Negativo representa uma realidade financeira grave para uma empresa. Isso só ocorre quando os valores das suas obrigações (passivos) superam a soma de todos os seus ativos.

Com isso, a parcela do passivo excedente indica uma situação de passivo a descoberto. Nesse caso, é possível afirmar que a empresa está em situação de vulnerabilidade financeira, onde a recuperação judicial é necessária.

Reservas de Lucros e de Capital

As Reservas de Lucros e de Capital representam outra subconta do patrimônio. Como o nome já indica, elas são uma parte dos lucros gerados pela operação da empresa que são destinados à reservas por motivos específicos.

Alguns exemplos de Reservas de Lucros e de Capital são:

  • Reserva Legal;
  • Reserva Estatutária;
  • Reserva para Contingências;
  • Reserva de Lucros a Realizar;
  • Reserva de Incentivos Fiscais.

Obrigatoriamente, a reserva legal deve ser composta por 5% do Lucro Líquido. Além disso, seu valor máximo é de 20% do capital social da companhia.

Vale lembrar que quando não existe finalidade para a destinação de uma parcela dos lucros ou compensação de prejuízos, o montante é reunido nas contas de lucros ou prejuízos acumulados.

Ajuste de Avaliação Patrimonial

De todas as subcontas do Patrimônio Líquido, o Ajuste de Avaliação Patrimonial é a de menor importância. Ele demonstra os ajustes necessários para avaliar os ativos da companhia de acordo com seus valores justos.

Assim, fica possível assegurar uma valorização justa em um momento que exige o cálculo desse valor, como a liquidação da companhia.

Como calcular patrimônio líquido?

O cálculo do Patrimônio Líquido é muito simples, podendo ser feito a partir da seguinte fórmula:

Patrimônio Líquido = Ativos – Passivos

Exemplo de Patrimônio Líquido

Tomando como base informações fictícias de uma empresa “X”, dois sócios foram responsáveis por investir R$120 mil para dar início às operações da companhia. Deste valor, R$64 mil foram investidos em produtos e equipamentos. Já os R$56 mil restantes ainda serão integralizados.

No primeiro mês, o faturamento da organização atingiu R$34 mil, representando um lucro de R$12 mil. Sendo assim, o Patrimônio Líquido pode ser identificado a partir do seguinte cálculo:

R$120.000 (Capital Social) – R$56.000 (capital a ser integralizado) + R$12.000 (Lucro Acumulado) = R$76.000 de Patrimônio.

Após a integralização do restante do capital, os dois sócios terão:

R$120.000 + 12 mil = R$132 mil de Patrimônio Líquido.

Por que analisar Patrimônio Líquido?

Entender o valor do Patrimônio Líquido é fundamental para que seja possível avaliar se uma empresa é vantajosa e lucrativa. Essas informações são importantes tanto para a gestão quanto para potenciais investidores.

Isso porque uma empresa que está em prejuízo ou possui um baixo PL pode não ser a opção mais vantajosa se comparada com uma concorrente com dados mais positivos. Além disso, identificando o patrimônio, a gestão tem a capacidade de melhorar seu embasamento antes de tomar decisões financeiras importantes.

Indicadores relacionados ao patrimônio líquido

Além do Patrimônio Líquido, existem outros indicadores que devem ser levados em conta na hora de analisar uma empresa.

Entre os principais, estão:

Margem Líquida

Demonstra a capacidade da empresa de gerar lucro em relação à sua receita dentro de um determinado período. O resultado, expresso em porcentagem, é subjetivo, já que o mesmo valor pode ser positivo ou negativo dependendo da realidade da empresa.

Por isso, é importante que a Margem Líquida seja comparada entre companhias do mesmo setor de atuação, a partir da seguinte fórmula:

Margem Líquida = Resultado Líquido / Receita

Liquidez Corrente

Mostra se a empresa possui recursos financeiros suficientes para cumprir com seus compromissos financeiros de até um ano. Seu resultado é medido em numeração, seguindo o número 1 como indicador. Se igual ou maior que 1, a Liquidez Corrente indica que existe capital de giro suficiente para pagar as obrigações da empresa.

A fórmula utilizada é:

Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante

Rentabilidade do Ativo

Também conhecido como ROA (Return on Assets), ele mostra a rentabilidade adquirida através dos recursos da própria empresa. Por conta disso, ele costuma ser bastante utilizado por quem deseja descobrir a qualidade da gestão de uma companhia.

Diferente do ROI, o ROA não leva em consideração o endividamento e patrimônio imobilizado da organização. Seu resultado é medido em porcentagem e quanto maior, melhor. Para obtê-lo, basta utilizar a seguinte fórmula:

Rentabilidade do Ativo = Resultado Líquido / Ativo Total

Giro do Ativo

O giro do ativo relaciona o total de vendas com o total de ativos que a empresa possui. Ele é utilizado para medir a eficiência da empresa no uso dos seus bens, créditos e direitos (ativos).

Para obtê-lo, basta utilizar a seguinte fórmula:

Giro do ativo = Receita Líquida / Ativo Total

Portanto, além do Patrimônio Líquido, a análise de outros indicadores financeiros contribui para resultados mais assertivos em uma análise fundamentalista.

Foi possível saber mais sobre Patrimônio Líquido? Deixe suas dúvidas nos comentários abaixo.

Adicione Comentários