EV/EBITDA

E

O que é EV/EBITDA?

O EV/EBITDA é um importante indicador formado por dois indicadores bastante utilizados: EV e EBITDA.

Para interpretar o EV/EBITDA, é preciso entender o que cada um desses índices representam.

O EV, ou Enterprise Value (Valor da Firma), representa a soma entre o valor de mercado das ações de uma empresa e sua dívida líquida. Ele é formado por três componentes: Valor de Mercado, Valor das Dívidas e Caixa e Equivalentes de Caixa. Já o EBITDA, ou Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization (Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização LAJIDA), representa o resultado operacional da empresa antes do desconto de:

Dessa forma, o EV/EBITDA pode ser usado para comparar companhias de diferentes setores e até mesmo localidades com precisão, algo que outros indicadores não permitem.

Como interpretar o EV/EBITDA?

O cálculo do EV/EBITDA representa o resultado de vários lançamentos após um longo período para uma empresa. Já para os investidores, ele é uma oportunidade para comparar informações relevantes entre empresas com diferentes realidades, inclusive de nacionalidades e estruturas de capital distintas.

É comum que esse indicador seja útil em casos de fusões e aquisições, pois permite a comparação entre empresas com diferentes níveis de endividamento e até mesmo regimes tributários. Com o resultado, o investidor pode fazer análises ou comparações.

Análise do EV/EBITDA

Ao analisar o EV/EBITDA, é preciso levar em conta a representação do EV, que é o valor atribuído à empresa pelo mercado. Se apenas esse indicador aumenta, é possível interpretar que a empresa está crescendo, mas produzindo o mesmo resultado.

Portanto, enquanto o mercado possui perspectivas positivas em relação à empresa e sua situação financeira pode estar mais positiva,  existe uma indicação de que o resultado operacional da empresa não evoluiu ao longo do tempo.

Isso porque o EBITDA representa os resultados que a empresa obtém sem a subtração de suas despesas. No entanto, em uma situação onde apenas o EBITDA aumenta, o sinal é positivo, pois a empresa conseguiu melhores resultados mesmo sem apresentar um crescimento de tamanho e recursos.

Comparação do EV/EBITDA

Uma das utilizações principais desse indicador é na comparação entre os resultados de diferentes empresas. É uma representação do quanto uma empresa consegue produzir com seus próprios recursos.

Como o resultado é considerado em anos, quanto mais baixo, menos tempo uma empresa leva para ter o retorno do seu investimento se mantiver a mesma produção operacional dos últimos 12 meses. No entanto, vale lembrar que, se esse resultado chegar através da diminuição do EV, existe a possibilidade de uma má reputação no mercado e problemas no caixa da empresa.

Como calcular o EV/EBITDA?

Para calcular o EV/EBITDA, é preciso calcular anteriormente os dois indicadores que compõem esse índice.

Para calcular o EV, é necessário levar em conta quatro fatores:

  1. Valor de Mercado;
  2. Total de Dívidas da Empresa;
  3. Valores em Caixa;
  4. Ativos Não Operacionais.

Com essas informações, é possível encontrar a fórmula do Enterprise Value, que é a seguinte:

EV = Capitalização + Dívida – Caixa e Equivalentes – Ativos Não-Operacionais

Já para calcular o EBITDA, é preciso calcular a receita líquida da empresa e subtrair os custos dos produtos vendidos (CPV) e as despesas gerais do negócio (VG&A).

As duas fórmulas do EBITDA existentes são:

  1. EBITDA = Resultado Líquido + Juros + Impostos + Impostos + Depreciação + Amortização;
  2. EBITDA = Resultado Operacional (DRE) + Depreciação + Amortização.

Exemplo de utilização do EV/EBITDA

Para fazer o cálculo do EV/EBITDA de uma empresa “X”, deve-se utilizar os seguintes dados fictícios: Supondo que no período de análise a empresa “X” possui ações cotadas a R$12,00 e um total de 400 mil papéis emitidos, seu valor de mercado seria: 12 x 400.000 = R$4,8 milhões.

Para calcular seu valor total de dívidas, é preciso avaliar o seu balanço patrimonial, que indica R$ 2 milhões em débitos, sendo eles de curto e longo prazo, além de um caixa de R$1,5 milhões.

Com isso, o cálculo do EV seria: (R$4.800.000) + (R$2.000.000)  – (R$1.500.000) = R$5.300.000.

Enquanto isso, o EBITDA atual da empresa pelos últimos 12 meses foi de R$500.000. Nesse caso, o EV/EBITDA resulta em: 5.300.000 / 500.000 = 10,6.

Limitações do EV/EBITDA

Apesar de ser um indicador bastante relevante dentro da análise fundamentalista de investimentos, o EV/EBITDA possui suas limitações. Se uma empresa possui uma alta alavancagem financeira, o indicador não consegue demonstrar isso.

Nesse caso, o pagamento de altos juros e até mesmo estado de prejuízo financeiro pode passar despercebido. Esse indicador também ignora informações relevantes, como: juros pagos, receita financeira, tributos, investimento em capital de giro e CAPEX.

Por conta disso, a análise do EV/EBITDA precisa ser feita em conjunto com outros indicadores financeiros para que o resultado apresentado seja eficiente e realista.

Foi possível saber mais sobre EV/EBITDA? Deixe suas dúvidas nos comentários.

2 comentários

  • ERRO: 600 mil papéis não! 400 mil papéis.

    EXEMPLO DE UTILIZAÇÃO DO EV/EBITDA
    Para fazer o cálculo do EV/EBITDA de uma empresa “X”, deve-se utilizar os seguintes dados fictícios: Supondo que no período de análise a empresa “X” possui ações cotadas a R$12,00 e um total de 600 mil papéis emitidos, seu valor de mercado seria: 12 x 400.000 = R$4,8 milhões.