IPCA

I

O que é o IPCA?

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, ou simplesmente IPCA, refere-se como sendo um dos principais índices na representação da inflação em território nacional.

Dessa forma, é válido compreender que o IPCA está relacionada a perda do poder de compra do dinheiro. Isto é, quando o valor dos produtos ou serviços começam a ser elevados, pode-se inferir que esses preços estão sofrendo com a inflação. Caso contrário, ou seja, o valor dos produtos esteja baixando, pode ser visto como uma deflação.

Dessa forma, observa-se que o IPCA costuma seguir a lei da oferta e demanda, ou seja, quando a demanda por um determinado produto é elevada, o preço tende a subir.

Sendo assim, o IPCA tem o intuito de proporcionar que o Banco Central possa manter o controle da política monetária, para assim, atingir a meta para a inflação.

Em resumo, quando ocorre aumento do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o custo de vida da sociedade também aumenta. Em comparação, quando o custo de vida da população torna-se mais barato, verifica-se uma redução na taxa do IPCA.

Como funciona o IPCA?

O IPCA é elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O cálculo do índice é realizado pelo instituto nas principais cidades do Brasil com o intuito de refletir o custo de vida dos habitantes nessas regiões.

Para que o IPCA funcione, é utilizado como uma base de referência, a média de consumo das famílias detentoras de 1 a 40 salários como renda.

Dessa maneira, é possível alcançar uma média e descobrir o IPCA do período. Dado que, todos os meses o IBGE calcula o IPCA nas regiões metropolitanas de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Curitiba, Fortaleza, Recife, Fortaleza, Belém, Vitória, Goiânia, Campo Grande, São Luís, Rio Branco, Aracaju e Brasília.

Sendo assim, apesar de não ser calculado em todas as cidades que abrangem o território nacional, vale para todas as cidades e regiões brasileiras. Além do IPCA, o IBGE também trabalha com índices parecidos e que atuam como um complemento no estudo da inflação.

Logo, observa-se que o IPCA funciona como uma base para o Banco Central, Governo Federal e população para se atentarem a evolução da inflação no país.

Como o IPCA é calculado?

Para calcular o IPCA é necessário incluir famílias que possuam uma renda mensal que variem entre 1 e 40 salários mínimos. Sendo assim, para realizar o cálculo do IPCA deve-se levar em consideração os serviços e produtos que são consumidos pelos indivíduos que estão dentro da faixa de renda para o cálculo do IPCA.

Logo, o IBGE realiza uma Pesquisa de Orçamento Familiar que, geralmente, detém informações sobre hábitos de consumo e gastos familiares. Dessa forma, mediante essa pesquisa é realizada uma ponderação de cada item que compõe a cesta de compras de produtos.

Para realizar o cálculo do IPCA são coletados dados em estabelecimentos comerciais, concessionárias de serviços públicos, como também, nos domicílios, ressaltando que os dados são coletados durante todo mês, para assim, realizar o cálculo e a divulgação do IPCA.

Sendo assim, dentre os principais produtos e serviços utilizados para realizar o cálculo do IPCA estão:

  1. Transportes;
  2. Alimentação e bebidas;
  3. Habitação;
  4. Saúde;
  5. Educação;
  6. Comunicação;
  7. Vestuário.

Portanto, para realizar o cálculo é feita uma média que leva em consideração o peso de cada localização e através do resultado da pesquisa é possível verificar a movimentação dos preços nas regiões brasileiras. Sendo assim, através das movimentações acontece a determinação do IPCA.

Como o IPCA afeta a economia?

O IPCA é utilizado como o indicador oficial da inflação, dado que, o índice é determinante no reajuste dos preços da economia.

Além de controlar os reajustes anuais de diversas despesas, sendo assim, observa-se que a variação do IPCA afeta diretamente os preços para o consumidor.

Sendo assim, períodos de inflação alta podem ter impactos significativos no status quo na economia. Dessa forma, o Banco Central costuma monitorar essa taxa diariamente com o objetivo de interferir na política monetária caso decida que existe necessidade.

Como funcionam as rentabilidades atrelados ao IPCA?

O IPCA é o índice que representa a inflação do Brasil. Dessa forma, no mercado financeiro são disponibilizadas variadas aplicações que atrelam a rentabilidade do investimento ao índice.

Sendo assim, as rentabilidades atreladas ao IPCA, funcionam mediante o seguinte exemplo:

  • Caso a inflação alcance o percentual de 10%, os investimentos atrelados ao IPCA ofertarão um rentabilidade acima desse valor, visto que normalmente esses investimentos são oferecem o IPCA mais uma taxa pré-fixada.

Além disso, os investimentos direcionados para aplicações na renda fixa que estão atreladas à inflação, são afetadas diretamente pelo IPCA, dado que, ela é um dos fatores que compõem o rendimento do título.

Quais investimentos são atrelados ao IPCA?

De início, é importante ressaltar que os investimentos atrelados ao IPCA, geralmente, rendem o mesmo percentual da inflação e possuem um segmento da rentabilidade prefixada.

Sendo assim, dentre os investimentos atrelados ao IPCA, estão:

  1. Tesouro Direto;
  2. Papéis bancários;
  3. Fundos de inflação.

Tesouro Direto

Dentre os investimentos de renda fixa mais conhecidos do mercado financeiro e que está atrelado ao IPCA, está o Tesouro IPCA emitido pelo Tesouro Nacional.

O Tesouro IPCA consegue preservar o poder de compra do investidor durante o período de aporte, isto é, são realizados reajustes no capital de acordo com a inflação do período, pagando ainda, uma taxa a mais.

Além disso, no Tesouro Direto também existe o Tesouro IPCA com pagamento de Juros Semestrais, que também paga a variação do IPCA mais uma taxa prefixada de 6 em 6 meses.

Sendo assim, a diferença entre o Tesouro IPCA e o Tesouro IPCA com Juros Semestrais, é que o primeiro pagará toda a rentabilidade ao final, enquanto o segundo pagará a rentabilidade semestralmente.

Papéis Bancários

Os títulos emitidos por instituições financeiras podem ter o IPCA como uma referência de rentabilidade, dentre esses títulos estão o CDB, LCI e LCA.

Além disso, os papéis bancários costumam possuir os prazos de vencimento mais curtos que o Tesouro IPCA. Sendo assim, o funcionamento se dá através do pagamento de uma taxa de juros somando-se a variação do IPCA.

Fundos de Inflação

Os fundos de inflação são referentes a fundos de investimento que possibilitam o investimento em papéis atrelados aos índices de preços. Geralmente, grande parte deles estão indexados ao IMA-B.

Além disso, torna-se uma opção para os investidores que desejam acompanhar as mudanças dos indicadores de inflação.

Qual a relação entre IPCA e SELIC?

Antes de tudo, é importante entender como funciona o Sistema Especial de Liquidação e Custódia, ou simplesmente, Selic. Sendo considerada a taxa básica de juros oficial do Brasil.

Além disso, a taxa Selic costuma ser determinada a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária (COPOM).

Dessa forma, a relação entre os índices se dá devido a Selic ser um dos sistemas mais utilizados pelo Banco Central para manter o controle da inflação, dado que, a taxa afeta diretamente o IPCA.

Isto é, quando ocorre um aumento da Selic, o acesso ao capital fica menor, dessa forma, os consumidores tendem a limitar os gastos. Sendo assim, no longo prazo a estratégia acaba controlando a inflação, dado que, gera uma oferta mais barata.

Ou seja, aumentar a selic ou buscar mantê-la estável pode ser considerada uma maneira de conter o aumento do IPCA.

Histórico do IPCA

O IPCA surgiu em 1979, entretanto, só começou a ser utilizado pelo Banco Central, em 2000. Sendo selecionado como índice de preços pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Além disso, é importante destacar que o responsável pelas políticas recomendadas para que as metas sejam cumpridas, é o Banco Central (BACEN).

Por isso, para que a meta da inflação mantenha-se controlada, é preciso um trabalho conjunto entre o BACEN e o CMN. Isto é, o Conselho Monetário Nacional (CMN) determina a meta que deve ser cumprida durante o ano e o BACEN realiza a tarefa de cumprir a meta pré-estabelecida.

Ressaltando que, o Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor (SNIPC) é responsável pela produção dos índices de preços, mediante a combinação de alguns processos.

Como ganhar mais que o IPCA?

O índice IPCA é definido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dessa forma, para ganhar mais que o IPCA é muito importante que os investidores busquem rentabilidades que estejam acima da inflação, ou seja, rentabilidade real.

Assim, caso o investimento esteja abaixo da inflação, significa que está sendo perdido poder de compra. Logo, o IPCA acaba sendo muito usado como indexador para aferir e obter garantia de estar sempre acima da inflação.

Além do mais, é relevante buscar títulos que oferecem remunerações acima do IPCA, chamada taxa de juros real, garantindo assim, que os valores vão ficar protegidos contra a inflação.

Vale ressaltar que buscar investimentos em renda variável também pode ser uma opção de ganho acima da inflação, visto que no longo prazo essa classe de ativo superou a inflação historicamente.

Foi possível saber mais sobre o IPCA? Deixe suas dúvidas nos comentários.

Adicione Comentários