Boleta

B

O que é boleta?

A boleta é o local em que se colocam os ativos a serem negociados na Bolsa de Valores. Eles podem ser comprados ou vendidos. Além disso, é detalhado o preço e a quantidade a ser operada.

Devido a todos os seus detalhes, a boleta se torna uma ferramenta da renda variável. Com ela, o investidor define as operações, inclusive determinando quanto tempo a ordem ficará no mercado, ou seja, se permanecerá até:

  • ser finalizada;
  • o encerramento do pregão;
  • uma data predefinida.

Essas informações podem ser configuradas na boleta. Esse instrumento é válido para diferentes tipos de ativos financeiros, como fundos de investimento imobiliários, ações, fundos de índice (ETFs) e mais.

Como a boleta funciona?

A boleta é uma ferramenta que facilita a compra de ativos negociados na bolsa. As corretoras de valores disponibilizam seu acesso aos investidores diretamente no home broker.

Por meio da plataforma de negociação, é possível lançar as ordens de compra e venda de ativos. Nesse cenário, as boletas são como registros das operações.

A partir de suas informações, a corretora realiza a ação esperada pelo investidor. Por isso, é necessário que a boleta seja bem detalhada.

Como utilizar a boleta?

Sempre que for realizada uma operação de compra ou venda na bolsa de valores, a boleta é utilizada. Ao fazer o lançamento da ordem, é preciso inserir vários dados sobre o ativo a negociar.

Para entender como detalhar as informações, veja quais etapas deverão ser realizadas:

  • escolha qual tipo de ordem será lançada, ou seja, se será de compra ou venda;
  • selecione o ticker do ativo, isto é, qual deles será negociado. Por exemplo, PETR4 para ações preferenciais da Petrobras;
  • determine o valor da ação que pretende pagar ou vender;
  • digite quantos ativos deseja negociar;
  • insira sua senha eletrônica para finalizar a operação e lançar a ordem.

Existem outras funções na boleta?

Sim. Essa ferramenta dos investimentos em renda variável tem 3 funções diferentes. Duas deles já foram vistas: as boletas de venda e de compra.

A primeira permite lançar uma ordem de venda de um ativo. A segunda, de compra. Em ambos os casos, sempre é preciso verificar o preço de negociação atual.

A partir disso, pode ser delimitado um valor mais alto ou baixo. Ainda assim, é importante estar dentro da média das operações do dia.

Ao mesmo tempo, existe uma função para o investidor que não quer fazer a consulta prévia do preço. No entanto, a maioria das boletas lançam a ordem de compra conforme o valor de mercado.

Também existe a chamada boleta de aquisição. Essa outra função é aquela que permite ao investidor definir stop gain e stop loss.

Essas ordens de parada são importantes para operações de trading. Assim, o investidor limita suas perdas e evita comprometer todo o seu capital.

A boleta de aquisição ainda favorece a definição de um vencimento na ordem lançada ao mercado. Esse prazo pode seguir até a concretização da operação.

No entanto, a validade também pode ser definida como o dia do pregão ou ter um vencimento predeterminado, de 2 dias ou mais. Basta inserir as informações na boleta.

Adicione Comentários