CDI

C

O que é CDI?

O Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é um título financeiro expedido e negociado entre as instituições financeiras, ou seja, interbancárias. Surgiu na década de 80 e foi criado pelo Banco Central (BACEN), objetivando manter o equilíbrio do sistema financeiro.

Dado que, antes do CDI era recorrente e comum a falência de bancos de forma repentinamente Dessa forma, o papel funciona como um modelo de empréstimo realizado entre as instituições.

Além de ser utilizado no cálculo da taxa DI, recorrentemente utilizada como referência para que o cálculo da rentabilidade de títulos variados seja executado.

Ressaltando que a negociação do CDI é efetuada entre as instituições financeira, desse modo, as organizações que possuem mais capitais, efetuam um empréstimo para as que mais estão precisando.

Dado que, essas negociações interbancárias são necessárias devido a Regra Basileia, que proíbe que as instituições financeiras finalize o dia com a receita negativa no caixa.

Sendo assim, caso um determinado banco termine o dia com mais saques do que depósitos, será necessário pegar capital emprestado de outra instituição para deixar o caixa positivo.

Logo, foi criado um padrão entre os bancos, permitindo que os empréstimos sejam automatizados, facilitando o processo do empréstimo.

Como funciona o CDI?

Recorrentemente, instituições financeiras precisam solicitar um empréstimo de capital a outro banco. Dessa forma, no empréstimo entre as instituições bancárias é executada uma taxa de juros.

Sendo assim, quando a instituição financeira que solicitou o empréstimo possui o prazo de 24h para devolver o capital, a concessão é efetuada através da emissão do Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Dessa forma, o Certificado de Depósito Interbancário é realizado entre ambas instituições financeiras que utilizam o open market para realizar a transação financeira que, geralmente, acontecem durante o período noturno (overnight).

Além do mais, o CDI é integrado a Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados (CETIP). Dessa forma, o órgão apura diariamente a média entre as taxas de juros decorrentes dos empréstimos, mediante os CDIs registrados.

Logo, por meio do resultado da apuração obtém-se a taxa DI, utilizada para realizar o cálculo da rentabilidade de outros títulos financeiros.

Como o CDI é calculado?

O Certificado de Depósito Interbancário, ou simplesmente CDI, é calculado por meio das operações computadas pela CETIP diariamente. Sendo assim, o cálculo do CDI mensal é realizado através da média das taxas diárias do CDI.

Sendo assim, será possível obter uma média ponderada, no qual a porcentagem torna-se a referência diária do CDI.

Lembrando que, o CDI sofre variações diariamente. Logo, recomenda-se que o cálculo da média sirva como base de referência.

Dado que, é recomendado verificar o valor divulgado de forma diária pela Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados (CETIP), quando comparado a execução do cálculo.

Como funcionam as rentabilidades atrelados ao CDI?

A rentabilidade dos títulos financeiros de renda fixa funcionam, geralmente, com a rentabilidade ligada ao CDI. Sendo assim, ela pode existir de duas formas como, híbrida ou pós-fixada.

  1. Híbrida: é referente a uma taxa fixa somando-se ao CDI;
  2. Pós-fixada: se trata de um percentual sobre o indexador.

Dessa maneira, em ambas as formas se o CDI aumenta, nesse caso, a rentabilidade também aumenta. Logo, quando o CDI diminui, a rentabilidade segue a trajetória e também sofre baixa.

Lembrando que, o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), não rende, visto que, ele não é um investimento. Sendo assim, uma taxa que atua como uma referência para outros investimentos. Destacando que, a Selic funciona da mesma forma.

Como investir no CDI?

De início, é importante ressaltar que os investidores não realizam aportes diretamente no CDI, mas em produtos que são referenciados com a taxa DI.

Sendo assim, os CDIs só circulam entre os bancos, logo, para investir não será possível ter um CDI, entretanto, pode-se realizar investimentos baseados na taxa DI, como exemplo tem-se o CDB.

Dessa maneira, existe uma oferta variada de opções relacionadas aos títulos de renda fixa e fundos de investimentos.

Quais investimentos são atrelados ao CDI

O CDI é o indicador de referência utilizado, geralmente, para a maioria das aplicações de renda fixa.

Dentre os principais investimentos atrelados ao CDI, estão: Certificado de Depósito Bancário (CDB), Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), Letra de Câmbio (LC) e Debêntures.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Os CDBs, são os títulos de renda fixa que são disponibilizados por instituições financeiras que objetivam angariar capital para gerir o financiamento de atividades, tem-se como exemplo a concessão de crédito.

Além do mais, o CDB difere-se do CDI, dado que, o CDI é um título criado para empréstimos entre instituições financeiras, já o CDB é um tipo de empréstimo de pessoas físicas para as instituições financeiras.

Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

As LCIs são os títulos referentes a renda fixa que são disponibilizados por instituições que queiram angariar capital para financiar o setor imobiliário. Sendo assim, esses títulos acabam sendo garantidos pelas hipotecas e difundidos em créditos imobiliários.

A LCI, pode ser pré ou pós-fixada. Além de estarem isentas de imposto de     renda. Como também, possuem a garantia do Fundo Garantidor de Crédito, o FGC.

Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

A LCA é um título disponibilizado por instituições financeiras, entretanto, no caso do LCA, as letras de crédito estão difundidas nos processos de crédito do agronegócio.

Nesse caso, o capital alcançado será direcionado ao financiamento das atividade de pecuaristas e agricultores. Além disso, a LCA é isenta do imposto de renda e possui garantia do FGC.

Letra de Câmbio (LC)

A LC possui como objetivo promover o crédito, isto é, quando o investidor adquire uma letra de câmbio, ele estará emprestando capital para as instituições financeiras, recebendo assim, juros pelo empréstimo.

A LC é tributada pelo Imposto de Renda, entretanto, os investimentos realizados na letra de câmbio possuem garantia do FGC.

Debêntures

As debêntures são títulos de crédito, que são negociados no mercado de capitais. Dessa forma, é válido ressaltar que os emissores de debêntures são as empresas. Sendo assim, geralmente, os recursos são emitidos para financiar projetos.

Logo, as debêntures costumam ter um vencimento mais longo, em comparação, a outros papéis da renda fixa. Dessa forma, diversas debêntures são pós-fixadas e remuneram os investidores baseados no percentual do CDI.

A grande maioria das debêntures é tributada tabela regressiva do Imposto de Renda. Além disso, as debêntures não são cobertas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Fundos de investimentos

Alguns fundos adquirem ativos como CDBs, LCIs, LCAs e Debêntures, além de títulos do tesouro direto. Diante disso, os fundos de investimento possuem o CDI como um parâmetro de rentabilidade.

Além disso, os fundos, geralmente, costumam apresentar prazos mais curtos de resgate, com melhores rentabilidades. Entretanto, não tem garantia do FGC.

Qual a relação entre CDI e SELIC?

A Selic é considerada pelo mercado financeiro como a taxa básica de juros da economia. Além de ser utilizada em operações realizadas entre os bancos, envolvendo títulos públicos como garantia.

O CDI geralmente acompanha a Selic, dessa forma, se a Selic apresenta um aumento, o CDI também tende a aumentar.

Entretanto, o CDI sempre costuma apresentar um índice um pouco abaixo da Selic.

Vale ressaltar que ambas são utilizadas como uma referência para verificar o rendimento de títulos financeiros. Entretanto, algumas questões diferem os indicadores, dentre elas está o fato de que o pagamento da Selic é realizado pelo governo, enquanto o CDI é pago por instituições financeiras.

Histórico do CDI

O CDI sofre diversas variações durante os meses e anos. Sendo assim, o índice permite que os investidores verifiquem as variações do indicador durante qualquer período.

Dado que, na renda fixa o CDI é um indexador básico, usado para determinar a rentabilidade de produtos que integram o mercado financeiro, como os CDBs, LCIs e LCAs.

O que significa render 100% do CDI?

Render 100% do CDI refere-se aos investimentos que terão o mesmo rendimento do CDI durante o período de tempo em que o capital estiver aplicado ao título.

Por exemplo, se o CDI foi de 5,30%, o capital investido renderá os mesmos 5,30% pelo mesmo período.

Dessa forma, os investimentos que utilizam esse estilo de remuneração são definidos como pós-fixados. Dado que, esses investimentos dependem das variações da taxa DI durante o período da aplicação.

Qual a relação entre CDI e Bolsa de Valores?

O CDI pode ser considerado uma referência para os investidores, no momento da aplicação do capital.

Dado que, o CDI pode ser empregado como uma margem de garantia na bolsa de valores. Logo, a margem de garantia é, geralmente, solicitada em operações no mercado.

Além disso, o CDI é visto como o benchmark da renda fixa, nesse caso, torna-se possível realizar um comparativo entre o desempenho de uma carteira na renda variável e os resultados da renda fixa.

Dessa forma, será possível verificar como está a rentabilidade de uma carteira de investimentos em relação ao CDI.

Foi possível saber mais sobre CDI? Deixe suas dúvidas nos comentários.

Adicione Comentários