Derivativos

D

O que são derivativos?

Para entender o que são derivativos, é preciso saber que se tratam de um contrato com valor atrelado ao de outro ativo, índice ou taxa de referência. Pode ser uma commodity (como o café), uma moeda, uma ação ou juros, por exemplo. Portanto, eles são físicos ou financeiros.

Em qualquer um dos casos, antes de entender o que são derivativos, é necessário saber que seu preço e prazo são definidos hoje, mas valem para uma data futura. Por isso, a operação sempre é feita com contratos, com valores baseados no mercado à vista.

Por exemplo, é negociado um contrato de derivativo pelo valor de R$ 20 por ativo. O investidor acredita que ele vai cair para R$ 10. Por isso, realiza a negociação para comercializar os papéis no futuro pelo valor de R$ 20.

Se o preço realmente diminuir, ele ganha. Caso aumente, perde e precisa arcar com esse prejuízo.

Para que servem os derivativos?

Mais do que saber o que são derivativos, é importante saber que eles podem cumprir duas funções: hedge e alavancagem. Entenda melhor.

Hedge

Os contratos de derivativos têm seu valor derivado de outro produto disponível no mercado. Daí o nome utilizado.

Esse é o caso do OZ1. Esse é um derivativo do ouro, que negocia a oscilação do preço do grama desse metal valioso. Portanto, o comportamento do valor depende diretamente da demanda.

Ao entender o que são derivativos, muitos investidores utilizam essa modalidade como hedge. Basicamente, a ideia é proteger os investimentos feitos.

Foi o que aconteceu em 2020 com o ouro. A crise sanitária fez com que mais pessoas investissem nessa commodity, porque ela é encarada como reserva de valor. Com isso, o preço aumentou.

Esse processo ocorre devido à negociação futura. Ou seja, a emissão do contrato é baseada em um valor pré-estabelecido. Se ele aumentar, a operação continua igual. Da mesma forma acontece quando cai.

No caso do hedge, a ideia do emissor é evitar perdas derivadas da queda do preço do ativo. Assim, ainda que ele seja reduzido, a venda posterior é realizada de acordo com o valor previamente definido.

Alavancagem

Ao mesmo tempo, também é preciso conhecer a alavancagem para entender o que são derivativos. Da mesma forma que ocorre com o hedge, o que vale continua sendo o preço estabelecido em contrato.

A diferença é que a alavancagem permite arriscar um ganho maior. Portanto, impulsiona o rendimento. Da mesma forma, potencializa o risco.

Por isso, é importante fazer um investimento alavancado apenas se você conhecer bem o mercado. Caso contrário, a chance de perdas é grande.

Quais são os tipos de derivativos?

Os derivativo são classificados em 4 categorias. Elas são:

Mercado a termo

No ambiente do mercado a termo, as partes acordam a negociação de um ativo por um preço definido hoje, mas que será utilizado no futuro. Por exemplo, a compra ou a venda ocorrerá daqui a 60 dias. O valor atual do ativo é R$ 20, mas é combinada uma operação de R$ 25.

O que vale é, portanto, o preço acordado. Ele será empregado daqui a 60 dias e ambas as partes envolvidas são obrigadas a cumprir o combinado.

Mercado futuro

É similar ao anterior, mas o preço negociado oscila com o passar do tempo. Portanto, não é fixo. A mudança ocorre até a liquidação do ativo.

Ao negociar no mercado futuro, o investidor adquire o contrato, que determina um valor e uma data futura. No entanto, ele pode comercializá-lo antes do prazo terminar. Isso leva a uma liquidez maior. Além disso, os ajustes diários precisam ser calculados.

Mercado de opções

É aquele em que uma das partes tem o direito de exercer a negociação. A outra é obrigada a fazer isso. De toda forma, o preço e os prazos estão fixados previamente.

Quem compra a ação é o titular. Quem vende é o lançador. Ambos negociam o prêmio, um valor antecipado que garante a negociação futura.

Portanto, se o lançador não exercer seu direito, o titular ainda ganha o prêmio. Por sua vez, o preço futuro e combinado previamente é o strike.

Ao pensar o que são derivativos, o mercado de opções sempre é lembrado. Isso porque ele traz uma vantagem: o direito de negociação. Com isso, uma das partes pode limitar as suas perdas. Depende da operação realizada: opção de compra (call) ou de venda (put).

Swap

É um contrato em que duas empresas negociam para alterarem seus índices de rentabilidade. Por exemplo, uma companhia vende no mercado nacional, mas tem os contratos baseados em dólar. Por isso, quer trocar para um indicador interno, como o IPCA.

Ao mesmo tempo, outra empresa vende em dólar, mas a dívida é corrigida pela inflação. Devido a suas características, ela deseja alterar o reajuste para a cotação da moeda americana. Nesse caso, ambas negociam o contrato e trocam os indicadores de reajuste na liquidação.

Qualquer que seja o tipo escolhido, é preciso entender o que são derivativos antes de investir nesses contratos. Por isso, é preciso focar a educação financeira.

Quais são as vantagens de investir em derivativos?

Pensando o que são derivativos, percebe-se que eles sempre se referem a contratos. Por isso, eles podem ser adquiridos em qualquer momento, tanto na alta quanto na baixa.

Essa é uma das principais vantagens, já que você pode ganhar em qualquer uma das situações. Os pontos positivos não param por aí. Ainda existem outros:

  • alavancagem, para ganhar mais;
  • proteção, para evitar perdas;
  • possibilidade de ser operado até mesmo por investidores iniciantes. Isso porque, mesmo que traga riscos, eles ainda são mais baixos do que outras operações da renda variável;
  • diversificação dos investimentos, porque o dinheiro aplicado é exposto a um número maior de riscos e mercados. Com isso, você tem uma carteira equilibrada e que pode potencializar os ganhos ao mesmo tempo que reduz os riscos.

E as desvantagens?

Além dos pontos positivos, também há alguns negativos ao operar com esses contratos. É importante saber quais são eles, além de entender o que são derivativos.

O principal problema é a potencialização dos prejuízos. Os riscos são mais altos do que em uma operação da renda fixa. Por isso, é importante conhecer e estudar bem o mercado.

A aplicação do dinheiro deve vir somente depois de uma boa análise. A partir disso, você pode investir sabendo o que são derivativos e escolhendo uma das alternativas no home broker da sua corretora de valores.

Adicione Comentários